Tudo está (sempre) fora da ordem na Covaxin

O governo Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira, 29, que vai suspender a compra da Covaxin. Agora, meses depois do empenho pela compra e dias após o caso virar um escândalo nacional.

Olhem que curioso. A Covaxin entrou, também nesta terça, 29, com o pedido para autorização emergencial do imunizante. Para completar, hoje, finalmente, a Ministério da Justiça e o Ministério da Saúde anunciaram que vão investigar.

Ou seja, tudo fora da ordem natural dos eventos. Neste caso, a ordem dos fatores altera, sim, o produto. Parece a música do Caetano Veloso, alguma coisa está fora da ordem.

Vamos por partes. Primeiro, o governo deveria ter pedido para que a vacina entrasse com o pedido de autorização emergencial para, assim, depois, fazer o contrato. Antes de “pressionar” o deputado Luis Miranda, o que foi o mais grave, deveria ter visto a viabilidade da vacina.

Mas, foi tudo ao contrário. Depois que recebeu a denúncia, lá atrás, como contou Luís Miranda, deveria ter investigado. E não esperado a denúncia explodir na CPI da Covid-19 para finalmente poder iniciar a investigação.

Depois que a CPI descobriu a maracutaia, eles investigam, cancelam o contrato e iniciam o pedido para a autorização emergencial. Uma “bateção” de cabeça sem fim. Isso tudo só prova que tem (muita) coisa errada nessa história da Covaxin.

Fontes Retirada do Site Veja Abril link da Matéria aqui….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *