Por declaração em CPI, Doria recomenda a Pazuello remédio para memória

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ironizou nesta quarta-feira, 19, a declaração do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello à CPI da Pandemia, no Senado, de que o presidente Jair Bolsonaro não impôs qualquer veto à compra, pelo governo federal, da CoronaVac, vacina fabricada pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac.

Em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, Doria recomendou a Pazuello que tome um remédio para memória. “Eu recomendaria ao Eduardo Pazuello, que foi ministro da Saúde, que tome Fosfosol, para melhorar um pouquinho a sua memória, aparentemente ele está com deficiência de memória”, afirmou o tucano.

Na mesma entrevista, o diretor do Butantan, Dimas Covas, disse que o instituto paulista teve “dificuldades” para a assinatura do contrato, que levou seis meses. “Este contrato foi assinado em 7 de janeiro deste ano, a primeira proposta foi em julho do ano passado. É só fazer as contas, e nós temos aí pouco mais de seis meses um contrato que não foi assinado, embora tenha sido proposto no meio do ano passado”.

Ao depor à CPI, na manhã desta quarta, Pazuello negou que Bolsonaro tenha lhe dado ordens para desfazer um acordo com o Butantan para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac. O próprio presidente, no entanto, declarou publicamente e alardeou nas redes sociais, dois dias após a assinatura do protocolo de intenções, em 19 de outubro de 2020, que havia mandado cancelar o acerto. “Já mandei cancelar, o presidente sou eu, não abro mão da minha autoridade”, disse.

Depois da assertiva do presidente, atribuída pelo ex-ministro a uma reação de Bolsonaro a Doria, Pazuello deu a notória declaração de que “é simples assim: um manda e o outro obedece” — agora classificada por ele como mero “jargão de internet”. Em sua participação na CPI, o ex-ministro tem reafirmado, contraditoriamente, que nunca recebeu ordens diretas de Bolsonaro sobre a condução da pandemia, a exemplo da defesa do tratamento precoce, com uso de medicamentos sem eficácia comprovada, como a cloroquina.

Continua após a publicidade

Fontes Retirada do Site Veja Abril link da Matéria aqui….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *