PGR contesta decisão que ampliou suspeição de Moro em processos de Lula

A Procuradoria-Geral da República discorda da decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que estendeu a suspeição do ex-juiz Sergio Moro, reconhecida pela Segunda Turma do Supremo apenas no caso do tríplex do Guarujá, a outros dois processos da Operação Lava Jato contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em recurso protocolado na Corte nesta sexta-feira, 2, endereçado a Gilmar, a subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araujo argumenta que a decisão do ministro afronta o entendimento do colegiado. Para a PGR, ao decidirem pela suspeição de Moro, isto é, que ele agiu sem imparcialidade no caso do tríplex, os ministros, incluindo Gilmar, haviam deixado claro que ela teria efeitos limitados apenas a este caso.

Ainda conforme Lindôra, a extensão da suspeição de Moro por Gilmar Mendes também não apontou concretamente atitudes do ex-juiz que possam ser interpretadas como quebra de imparcialidade. A decisão de Gilmar atingiu também os processos referentes ao sítio de Atibaia e ao que apura a compra, pela Odebrecht, de uma cobertura vizinha à de Lula em São Bernardo do Campo e um imóvel que abrigaria a sede do Instituto Lula, em São Paulo.

Com o entendimento do ministro, foram anuladas todas as decisões de Moro nos processos, incluindo na fase pré-processual, ou seja, de investigação. Assim, a Justiça Federal do Distrito Federal, à qual o Supremo determinou a remessa das ações contra Lula que tramitavam no Paraná, não poderia reaproveitar as provas colhidas pelos investigadores com autorização de Moro.

Fontes Retirada do Site Veja Abril link da Matéria aqui….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *