‘Jamais me impedirão de ficar ao lado do meu velho’, diz Carlos Bolsonaro

O fato de o vereador e filho do presidente Jair Bolsonaro, Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), que não ocupa cargo no governo, estar presente em uma reunião de negociação com a farmacêutica Pfizer para a compra de vacinas provocou críticas entre os parlamentares e ameaças de convocação para depoimento na CPI da Pandemia, no Senado.

Em seu Twitter, Carlos ignorou o fato de participar de uma reunião de governo ao qual não pertence e apelou para o lado sentimental, ao postar que “a todo custo tentam impedir um filho de ficar próximo do pai”. “Por que se sentem tão incomodados? Jamais me impedirão de ficar ao lado do meu velho”, escreveu.

Conforme o depoimento de Carlos Murillo, ex-presidente da Pfizer no Brasil, à CPI na quinta-feira, 13, Carlos Bolsonaro participou de reuniões do governo com a farmacêutica. O vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), por exemplo, questionou o motivo de um vereador estar tratando junto ao governo a compra de imunizantes.

Já o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) disse ter apresentado um requerimento para a convocação das pessoas citadas nas negociações, inclusive Carlos Bolsonaro. A CPI ainda precisa aprovar a convocação.

A versão do executivo da Pfizer, que hoje é presidente da farmacêutica para a América Latina, contradiz o depoimento do ex-secretário da Secom (Secretaria Especial de Comunicação), Fabio Wajngarten, que não citou a presença do vereador nas negociações das quais participou.

Continua após a publicidade

Fontes Retirada do Site Veja Abril link da Matéria aqui….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *